Notícias

 > Setor Óptico

Notícias

"Óculos de Qualidade Protege de Verdade”

18/12/2018

Está programada para a temporada verão a nova campanha “Óculos de Qualidade Protege de Verdade” do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico do RS (Sindióptica RS) prevista para ser divulgada já a partir deste mês, com foco principal na zona litorânea gaúcha. 


Este ano, a mensagem “Tá todo mundo cuidando dos olhos” será propagada com ações de Saúde Pública junto aos consumidores, alertando sobre óculos solares falsificados. “Os olhos estão expostos aos nocivos raios UV 365 dias por ano. Óculos solares falsificados ou sem procedência não protegem os olhos e causam danos irreversíveis a visão”, estampa os dizeres dos cartazes e folhetagens da campanha. Exames visuais frequentes também são indicados, além do conteúdo sobre os riscos de cegueira.

Lentes de óculos solares sem proteção UV, ou com proteção superficial, dilatam a pupila, permitindo que os raios nocivos penetrem no sistema óptico podendo levar à cegueira.  Óculos de sol sem qualidade apresentam ondulações nas lentes, causando distorções na visão, dores de cabeça e transtornos visuais temporários, podendo levar à necessidade do uso de lentes de grau. Já as armações sem qualidade podem causar alergias e assaduras na pele.


OS OLHOS ESTÃO EXPOSTOS AOS RAIOS ULTRAVIOLETA 365 DIAS POR ANO. Mesmo os óculos com lentes escuras não garantem que os olhos estejam protegidos contra os raios UVA/UVB, pois a proteção é feita por tratamento específico nas lentes e não por sua cor.

A mensagem da campanha reforça o uso óculos solar mesmo em dias nublados e, sempre que possível, indica o uso de um boné ou chapéu. A radiação UVA/UVB é cumulativa ao longo da vida, e diante deste fato, é aconselhável a utilização desde a infância os óculos solar de qualidade.

A campanha "Óculos de Qualidade Protege de Verdade", que também circulará nas Redes Sociais, conta com apoio do Fecomércio RS, Ajorsul Ministério Público Estadual (MPE-RS) e Governo do Estado do Rio Grande do Sul.


Desde agosto, o Sindióptica também vem promovendo a Campanha “Saúde dos Olhos” em busdoors da Capital gaúcha, com o mesmo direcionamento de chamar atenção sobre o uso e venda de lentes e óculos falsificados, causando danos irreversíveis à visão.

Notícias relacionadas:

  • 12/03/2019:

    Comissão retoma pauta contra informalidade

    - Os representantes do comércio gaúcho marcaram presença na manhã desta terça-feira (12) na Comissão de Combate à Informalidade na Fecomércio RS, em Porto Alegre. Na ocasião, vários temas pertinentes ao comércio informal foram abordados, com a participação do delegado do DEIC, Joel Henrique Wagner. Na ocasião, o presidente do Sindióptica RS, André Roncatto destacou as ações da entidade na campanha de verão. "Uma campanha que buscou conscientizar os consumidores sobre os danos irreversíveis à visão com uso de óculos falsificados nas 11 casas da Estação Verão, com blitz à beira-mar e postos de pedágio de Cassino a Torres", apontou. Já o diretor executivo Roberto Tenedini contabilizou o total de 450 mil veranistas que foram alertados nas ações do sindicato. DEBATE NA RDCTV COM SINDIÓPTICA – O programa Cruzando da última segunda-feira (11)  debateu sobre o comércio informal no Centro de Porto Alegre. Participaram do programa, o presidente do Sindióptica RS, André Roncatto. Você poderá acompanhar pelo link no Facebook em https://www.facebook.com/rdctvdigital/videos/1614812625329352/  

    Leia mais
  • 07/03/2019:

    Balanço positivo na campanha do Sindióptica RS para campanha contra óculos falsificados-

    - Durante dois meses de ações de mobilização da campanha “Óculos de Qualidade Protege de Verdade”, do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico (Sindióptica RS) no Litoral gaúcho, mais de 450 mil veranistas despertaram a atenção sobre os malefícios para o uso de óculos falsificados.    No total, em ações à beira-mar em 13 praias de Cidreira a Torres na temporada verão, foram realizadas durante 06 finais de semana, blitz envolvendo cerca de 50 pessoas nas operações de abordagem e divulgação, com distribuição 300 mil materiais impressos em pontos próximos a venda de produtos sem procedência. A recepção dos consumidores foi positiva e gradativamente, os veranistas apoiaram a iniciativa – já rechaçando a venda de produtos ilegais por ambulantes – por considerar especialmente a venda de óculos falsificados prejudicial à saúde.   Mas a campanha não limitou-se apenas em balneários. Na Capital, na orla do Guaíba, foram executadas ações junto aos transeuntes, além do alerta reforçado nas praças de pedágios da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) em Portão (RS-240, km 13), Campo Bom (RS-239, km 19) e Viamão (RS-040, km 19). Entrevistas e participação de programas de rádio e televisão para alertar sobre o tema por parte dos representantes do sindicato somaram 15 ocasiões.   Testes de visão junto à comunidade praiana e palestras proferidas por especialistas sobre os cuidados com a saúde visual também fizeram parte das ações da campanha nas Casas de Verão Sesc, em parceria com o Sistema Fecomércio RS/Sesc. Para o presidente do Sindipótica RS, André Roncatto, o uso de óculos falsificados causam efeitos cumulativos e irreversíveis ao olhos, provocando lesões para o futuro. “Nós estamos conversando com a sociedade e despertando no consumidor a necessidade de estar atento a produtos prejudiciais à saúde. Neste sentido, a campanha conseguiu mobilizar e conscientizar os consumidores desavisados, sobretudo, no litoral”, explica.   Devido ao êxito da campanha, ações semelhantes foram encampadas em Mato Grosso, Bahia e Minas Gerais. O diretor executivo do Sindióptica RS, Roberto Tenedini, afirma que nas operações – a partir de relatos da fiscalização em Porto Alegre e Litoral – o comerciante ilegal já começa a abandonar a venda de óculos em razão do rigor da fiscalização diante das constantes apreensões. “Percebemos que, apesar das inúmeras apreensões de óculos ilegais, o comércio deste produto já está diminuindo e até há o manifesto de ambulantes em buscar outros locais fora do Rio Grande do Sul para manter sua prática ilegal”, aponta.   Os óculos estão em quinto lugar na escala de artigos falsificados. Até mesmo em locais de venda itinerante ou no comércio virtual na internet, revestido sob aspecto “legal”, a venda de óculos sem procedência busca atrair o consumidor desavisado. De um total de R$ 1,17 trilhão que a economia subterrânea movimenta no Brasil, 6% dizem respeito ao Rio Grande do Sul. O percentual é equivalente a R$ 76,48 bilhões.   A sucessão da campanha completou este ano 10 anos de atividades ininterruptas e já em 2019 será programada outra ação junto ao consumidor. Participam das ações da campanha, além do Sindióptica RS, a Ajorsul, Fecomércio RS, Sesc RS, Ministério Público Estadual do RS e Governo do Estado.  

    Leia mais
  • 18/02/2019:

    300 mil veranistas são orientados em 1 mês

    - Nos primeiros 30 dias da campanha “Óculos de Qualidade Protege de Verdade”, do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico (Sindióptica RS), mais de 300 mil veranistas foram alertados sobre os malefícios do uso de óculos de sol sem procedência. As ações à beira-mar, em mais de 10 praias do litoral gaúcho, buscando conscientizar o consumidor sobre os efeitos nocivos de lentes falsificadas para a visão surtem efeitos a partir da crescente retração do comércio informal para o produto.   Ainda que o apelo comercial a partir do custo baixo do óculos seduz o veranista – em maior concentração nesta época do ano nas praias – gradativamente este consumo começa a ser evitado. A campanha envolve o consumidor despertando a consciência sobre os malefícios de óculos solares falsificados neste veraneio, avalia o presidente do Sindióptica RS, André Roncatto. “Este produto feito de lixo reciclável chega ao Brasil a menos de R$ 1. Mesmo que ocorram apreensões, quem pratica este delito contra a saúde pública sequer vai resgatar sua mercadoria junto às autoridades devido ao baixo custo”, exemplifica.   Os óculos estão em quinto lugar na escala de artigos falsificados. Até mesmo em locais de venda itinerante ou no comércio virtual na internet, revestido sob aspecto “legal”, a venda de óculos sem procedência busca atrair o consumidor desavisado. De um total de R$ 1,17 trilhão que a economia subterrânea movimenta no Brasil, 6% dizem respeito ao Rio Grande do Sul. O percentual é equivalente a R$ 76,48 bilhões.   Além do litoral, também foi reforçado a distribuição de material da campanha nas praças de pedágios da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) em Portão (RS-240, km 13), Campo Bom (RS-239, km 19) e Viamão (RS-040, km 19). Devido ao êxito da campanha, ações semelhantes são implementadas em Mato Grosso, Bahia e Minas Gerais.   O sindicato vem promovendo ainda atuações junto a parceiros privados com testes de acuidade visual nos quiosques dos SESC RS e em eventos junto à população. Nas próximas semanas serão implementadas de forma integrada com os poderes públicos o combate da "venda de areia" de mercadorias ilegais.   Participam da campanha, além do Sindióptica RS, a Ajorsul, Fecomércio RS, Sesc RS, Ministério Público Estadual do RS e Governo do Estado.

    Leia mais
  • 18/02/2019:

    Mais de 17 mil óculos apreendidos na Capital

    - A apreensão de produtos sem procedência pela fiscalização da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (PMPA)  no mês de janeiro e primeira semana de fevereiro foi de 17.263 óculos solar e 6.327 óculos grau. Em apenas uma operação dias atrás, os fiscais, em ação com a Guarda Municipal e Brigada Militar, apreenderam 1.053 óculos sem procedência no Centro Histórico de Porto Alegre em apenas 10 abordagens.  “Este produto feito de lixo reciclável chega ao Brasil a menos de R$ 1. Mesmo que ocorram apreensões, quem pratica este delito contra a saúde pública sequer vai resgatar sua mercadoria junto às autoridades devido ao baixo custo”, exemplifica o presidente do Sindióptica RS, André Roncatto. Os óculos estão em quinto lugar na escala de artigos falsificados. Até mesmo em locais de venda itinerante ou no comércio virtual na internet, revestido sob aspecto “legal”, a venda de óculos sem procedência busca atrair o consumidor desavisado. De um total de R$ 1,17 trilhão que a economia subterrânea movimenta no Brasil, 6% dizem respeito ao Rio Grande do Sul. O percentual é equivalente a R$ 76,48 bilhões. PARCERIAS – Nos últimos meses,o Sindióptica RS intensificou ações de forma integrada com entidades lojistas e Poder Público no combate às práticas de concorrência ilegal no comércio com a venda de produtos falsificados. Além da participação de comissões contra a ilegalidade (Fecomércio RS e Prefeitura de Porto Alegre), na interiorização com demais órgãos e esferas municipais (Procon) ou em Comitês de apoio para acolhimento de estrangeiros no Estado (Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos/ SDSTJDH), o sindicato vem promovendo atuações junto a parceiros privados com testes de acuidade visual.

    Leia mais
  • 18/12/2018:

    Jantar de confraternização integra setor óptico

    - Mais de 350 profissionais do segmento óptico prestigiaram o jantar de confraternização do Sindióptica RS na última quinta-feira (13) no Clube do Comércio, em Porto Alegre. Nesta data é comemorado o Dia de Santa Luzia, santa padroeira da visão e, por esse motivo, na mesma data é festejada também o Dia do Óptico.   Na oportunidade, o presidente do Sindióptica RS, André Roncatto anunciou o "Destaque Óptico 2018" para Leandro Stuermer e Sabrina Braga Vieira, pela Escola Estude Visão (EAD). A premiação aconteceu no decorrer do evento. Também foi programado o lançamento da campanha para a temporada verão “Óculos de Qualidade Protege de Verdade” que será divulgado já a partir deste mês, com foco principal na zona litorânea gaúcha. O lançamento da campanha acontece nesta quinta (13), em Porto Alegre, durante evento comemorativo ao Dia do Óptico.   Este ano, a mensagem “Tá todo mundo cuidando dos olhos” será propagada com ações de Saúde Pública junto aos consumidores, alertando sobre óculos solares falsificados. “Os olhos estão expostos aos nocivos raios UV 365 dias por ano. Óculos solares falsificados ou sem procedência não protegem os olhos e causam danos irreversíveis a visão”, estampa os dizeres dos cartazes e folhetagens da campanha. Exames visuais frequentes também são indicados, além do conteúdo sobre os riscos de cegueira.   “A mensagem da campanha aponta que lentes sem proteção UV, causam doenças como pterígio, a queima de retina, degeneração macular, além de estimular a catarata precoce”, alerta o presidente do Sindióptica RS, André Roncatto.  

    Leia mais
  • 27/11/2018:

    CCI faz balanço e avalia estratégia para 2019

    - A avaliação das atividades da Comissão de Combate à Informalidade (CCI) em 2018 e o planejamento estratégico para o próximo ano foram alguns dos tópicos analisados pelos representantes de entidades na sede do Fecomércio RS, em Porto Alegre. O presidente do Sindióptica RS, André Roncatto e o diretor executivo Roberto Tenedini pontuaram questões relativas ainda para 2018, tais como a importância simbólica do Dia Nacional de Combate à Pirataria – em 03 de dezembro – e a legitimidade das pautas encaminhadas setorialmente no grupo de trabalho. “Não podemos assistir passivamente este cenário de transformação. Temos que ser pró-ativos para construir soluções integradas com todos os setores”, afirmou Roncatto. Já Tenedini, categoricamente, apontou pela ampliação de ações contra o comércio ilegal. “Precisamos dar seguimento as ações, em um movimento coeso e de mobilização, sem deixar que as situações ocorram só do outro lado”, colocou.  Ainda em outubro, foi feita a análise sobre as estratégias e atividades de fiscalização de produtos ilegais e o aspecto da sonegação de produtos na Comissão. Em destaque, a apresentação sobre as ações de apreensões de produtos contrabandeados relatados pelo superintendente adjunto da Receita Federal, Ademir Gomes de Oliveira. Mesmo com baixo contingente de agentes para operações, a Receita opera baseada na inteligência. Em 5 anos, 3.221 operações foram efetivadas com ações voltadas em sua maioria para depósitos de produtos sonegados ou irregulares. “Não adianta enxugar o gelo, vamos direto nos depósitos clandestinos, e não apenas no varejo”, explica. Outras janelas de apresentação no encontro foram panorama e procedimentos do comércio ilegal na Região Central do Estado; e a concorrência desleal detectada pelo Instituto Nacional de Repressão à Fraude (INARF). A reunião esteve sob coordenação de Daniel Amadio (Fecomércio RS) e André Roncatto (Sindióptica RS).

    Leia mais
  • 27/11/2018:

    Sindióptica RS manifesta posição no Legislativo

    - Foram acolhidas pelos parlamentares presentes na Câmara de Vereadores de Porto Alegre na última quinta-feira (22), as palavras do presidente do Sindióptica-RS, André Roncatto, em defesa do comércio legal de óculos. Na oportunidade, foi apresentado as atividades das campanhas do sindicato, a parceria com as entidades e Poder Público e o manifesto contra a prática desleal que atenta à Saúde Pública no comércio informal de óculos falsificados, que provocam danos irreversíveis à visão humana. Durante sua manifestação, por cerca de 14 minutos, Roncatto destacou vários pontos entre os 17 parlamentares presentes em Plenário, com os trabalhos de Mesa inicialmente coordenados pelo vereador Adeli Sell (PT) e, após, por sua colega, Mônica Leal (PP). Entre os pontos expressados na Tribuna pelo presidente, chamou a atenção a seguinte fala: “Apesar de toda a informação sobre os malefícios que estes produtos causam aos olhos, ainda assim tem vereadores que apoiam o comércio ilegal. Os senhores são testemunhas, quando ainda este mês, organizações ditas organizadas clamam por ‘aliviar’ a fiscalização de produtos ilegais em nome do emprego, quando na verdade, este mesmo movimento dizima com os postos de trabalho formal de lojas que gradativamente fecham as portas por conta desta concorrência desleal”, afirmou. Outro trecho do discurso do presidente do Sindióptica RS que surpreendeu os vereadores presentes, foram os dados divulgados sobre o impacto da concorrência desleal que afetam a economia a partir do comércio informal. “informo que, de acordo com a Receita Federal, os óculos estão em quinto lugar na escala de artigos falsificados no país, sendo o primeiro que atenta à saúde pública. Ou seja, em todo o país, os óculos sem procedência movimentam cerca de R$ 8 bilhões por ano. Isso representa 60% do mercado. Com perdão da expressão, mas o momento é manter os olhos abertos e atentos. Não queremos uma população cega”, apontou Roncatto. Ao final, Roncatto ressalta as ações do sindicato. “O Sindióptica RS, junto com seus associados, está fazendo sua parte. Ainda em agosto, lançamos a campanha ‘Saúde dos Olhos’, em parceria com o Procon Porto Alegre. Também participamos de reuniões da Força-Tarefa contra o comércio ilegal na Capital,  com o Executivo municipal e entidades lojistas. Paralelamente, marcamos presença em operação com a Polícia Civil com apreensão de milhares de óculos falsificados recolhidos. Agora, em dezembro, reforçamos uma nova ação de campanha para o verão, intitulada "Óculos de Qualidade Protege de Verdade”. Após o uso da Tribuna pelo presidente Roncatto, vários parlamentares manifestaram moção de apoio à causa do Sindióptica, como os vereadores Cassiá Carpes,  Adeli Sell (PT), Mônica Leal (PP),  Idenir Cecchim (PMDB), Dr. Goulart (PTB),  Valter Nagelstein (PMDB), Comandante Nádia (PMDB) e José Freitas (PRB). Confira mais sobre a repercussão do manifesto do presidente do Sindióptica RS na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, André Roncatto pelo link goo.gl/bRKojC  

    Leia mais
VEJA TODAS AS NOTÍCIAS  
vans rayban okley mizuno asics air-max